Publicidade

Vice-governador e senador eleito Zequinha Marinho visita Parauapebas

“O motivo é apenas para agradecer”, resumiu o senador eleito José da Cruz Marinho (PSC), conhecido como “Zequinha Marinho”, em entrevista coletiva concedida à imprensa de Parauapebas, eleito com 1.374.956 votos no 1º turno das eleições 2018.

O atual vice-governador do Pará esteve em Parauapebas em apoio à campanha de seu candidato a governador Helder Barbalho, participando de caminhada e tirando um tempinho para conversar com a imprensa.


Zequinha Marinho falou de diversos assuntos, entre eles o abandono desta região tão esquecida pelo Governo Jatene, fato retratado nas muitas obras paralisadas, e de alternativas econômicas e do potencial desta região.

“Criar alternativas econômicas é de grande importância, mas é preciso repensar o sistema viário, para que se transporte a produção”, defendeu Zequinha, dando como importante a modernização das vias e interligação com portos.

Arrecadação também foi lembrada pelo senador eleito, citando a Lei Kandir, que, segundo ele, vem enfraquecendo o estado, que tanto oferece ao PIB e à balança comercial, recebendo apenas “as sobras”.

Zequinha afirmou que pretender fazer representação forte ao estado no Senado e ainda a esta região, da qual se fez filho por morar há muitos anos. “Conheço bem a realidade da população do interior, pois sempre morei em pequenas cidades”, revela Zequinha Marinho, detalhando ser da pequena cidade de Araguacema, no Tocantins.

Vida política – Zequinha Marinho iniciou sua vida política em 1994, candidatando-se ao cargo de deputado estadual pelo PDT, partido que estava filiado desde 1992, recebendo 7.965 votos, conseguindo a suplência e, posteriormente, efetivando-se ao cargo parlamentar no ano de 1997. Em 1998, conseguiu se reeleger ao cargo, com 16.060 votos.

Em 2002, Marinho se candidatou ao cargo de deputado federal, elegendo-se com 76.177 votos, alcançando a 10ª colocação entre os demais concorrentes. Ao longo de seu primeiro mandato em Brasília, fez parte de diversos partidos políticos. Ao assumir o mandato, em 2003, desfiliou-se do PDT e ingressou no PTB, sendo que no mesmo ano foi para o PSC, onde permaneceu até 2005, quando se filiou ao PMDB. No mesmo ano, chegou a ficar por certo período sem filiação a qualquer agremiação partidária, até retornar ao PSC, onde disputou a reeleição ao cargo legislativo em 2006, se elegendo com 91.577 votos, se classificando como o 12º mais votado do estado. Após o pleito, retirou-se novamente do PSC e retornou ao PMDB, onde permaneceu até 2009, quando retornou ao seu partido anterior, estando filiado até hoje. Em 2010, foi novamente candidato à Câmara Federal, sendo eleito pela terceira vez consecutiva com 147.615 votos, sendo o 7º mais votado.

Em 2014, candidatou-se ao cargo de vice-governador do Pará na chapa do então governador e postulante à reeleição Simão Jatene, do PSDB, sendo eleito no segundo turno, considerado o primeiro vice-governador representante da região sul do estado, algo inédito na política paraense.

Atualmente, Marinho é considerado uma das maiores lideranças políticas do Estado do Pará, um dos pouquíssimos políticos que quando concorreu ao cargo de deputado federal obteve votos em todos os 144 municípios existentes no Pará, um fato um tanto quanto incomum nas eleições do estado.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu