Publicidade

Anuário da Mineração é lançado em Curionópolis

A cerimônia de lançamento será realizada nesta segunda-feira (29), às 19h, no auditório do Hotel Serra Leste. O evento contará com a participação do presidente da Frente Parlamentar de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável da Mineração no Pará, deputado estadual Raimundo Santos, empresários do setor produtivo e autoridades locais.
Antes do lançamento, o Simineral e a Frente Parlamentar da Mineração visitam as instalações do projeto Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral (SPCDM), localizado a 50 quilômetros de Curionópolis. Conduzido numa parceria entre a mineradora Colossus Minerals e a Coomigasp (Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada), o empreendimento conceberá a primeira mina subterrânea de ouro da Amazônia, com previsão para operar em setembro deste ano.

Saraiva publicidade

Com uma área de 100 hectares, o projeto explorará mais para frente outros metais, além do ouro, como o paladium e a platina.
O grande desafio, segundo José Fernando Gomes Júnior, é continuar difundindo as informações sobre o setor, mostrando sua significativa contribuição econômica e social para o estado. “O Anuário, desde a sua primeira edição, vem exatamente com a proposta de consolidar informações sobre o setor mineral, evidenciando sua importância para o desenvolvimento econômico e social do nosso estado”, comenta.
Com o tema “Minérios da nossa terra, riquezas para a nossa gente”, a publicação faz uma radiografia completa da mineração paraense, apresentando ao público o desempenho do setor mineral na balança comercial, além do saldo das exportações, a geração de empregos, os projetos de responsabilidade social, as ações de sustentabilidade e os futuros empreendimentos no Pará.

O sindicato também leva a Curionópolis o “Anuarinho”, versão exclusiva do Anuário Mineral do Pará para o público infantil, com o objetivo de transmitir, de forma didática e divertida, informações sobre mineração. “Não podemos mais estar dissociados da infância e da adolescência. Nossa meta é fazer com que essa futura mão de obra venha para o setor mineral. Acreditamos no potencial dessa ferramenta para contribuir na formação de futuras gerações para a mineração”, diz José Fernando Gomes.

Reportagem: Francesco Costa

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu