Publicidade

Depois de investigação da Polícia Federal, Secretaria de Educação de Parauapebas será alvo de CPI

Em uma sessão polêmica, realizada na tarde desta terça-feira (16) na Câmara Municipal de Parauapebas, os ingredientes principais foram muitas acusações entre vereadores, vaias direcionadas por parte servidores públicos supostamente convocados pelo vereador Odilon Rocha (SDD), aos parlamentares que são oposição ao Governo Valmir Mariano (PSD) e a instauração de mais uma Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI).

De acordo com a pauta do dia, a sessão tinha tudo para ocorrer de forma tranquila, tendo em vista que apenas um requerimento e cinco projetos de leis iriam ser discutidos, porém, a grande quantidade de servidores públicos e população em geral que lotaram as dependências do plenário da Casa de Leis fez com que os ânimos dos vereadores ficassem “a flor da pele” e a Sessão Ordinária contou com muito bate-boca entre vereadores e até mesmo público presente.


Motivo da CPI
De acordo com os vereadores Bruno Soares (PP), Charles Borges (SDD), Eliene Soares (PT), Zé Arenes (PT) e Francisco Pavão (SDD), o que levou eles a assinarem o documento que instaura a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Educação), foram as investigações feitas pela Polícia Federal que esteve no começo do mês de setembro em Parauapebas investigando denúncias de irregularidades na Secretaria Municipal de Educação (SEMED), onde na oportunidade, com um mandado de busca e apreensão em mãos, recolheu planilhas de medição, processos de dispensas de licitação e outros documentos que podem indicar uma fraude na contratação de empresas que prestam serviços na área de transporte escolar para a prefeitura de Parauapebas.
O valor das fraudes, levantado pela Polícia Federal, pode ultrapassar R$ 5 milhões. Funcionários das pastas tiveram que desocupar as salas para o trabalho dos federais.

O Portal Pebinha de Açúcar (www.pebinhadeacucar.com.br) acompanhou as investigações da Polícia Federal, publicou o conteúdo completo no site, o que levou aos vereadores citarem o veículo de comunicação no documento que instaurou a segunda CPI no governo do prefeito Valmir Queiroz Mariano.

Em sua página no Facebook, o vereador Bruno Soares comentou sobre a instauração da segunda CPI consecutiva no governo Valmir Mariano, leia na íntegra:

“Apresentamos hoje a CPI da EDUCAÇÂO. Como houve uma tentativa de boicotar a CPI da Saúde pela base aliada, demos um presente de grego para eles. Apresentamos o Requerimento nº 056/2014 solicitando abertura de investigação da SEMED.
Como é de conhecimento de todos, a Policia Federal procedeu a busca de documentos na SEMED visando colher provas materiais referente ao inquérito instaurado junto ao Ministério Público Federal, tendo como foco central o desvio de recurso público na área do transporte escolar.
Há outros indícios de irregularidades na compra de livros realizada no fim de 2013 que deverá também ser objeto de investigação.
Esperamos a participação da base do governo nessa CPI e veremos se o relatório final estará em conformidade com o da Policia Federal”, relatou o parlamentar.

Reportagem e fotos: Bariloche Silva – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu