Publicidade

Enfeites luminosos de Natal inspiram cuidados

No final do mês de novembro, já é comum residências e pontos comerciais estarem devidamente decorados para o período do Natal. Porem é necessário que alguns cuidados sejam tomados na hora da compra e instalação desses enfeites, sobretudo os luminosos, que além de proporcionarem um consumo desnecessário de energia elétrica, em alguns casos, também podem provocar acidentes como choques elétricos, curtos-circuitos e até mesmo incêndios.

O primeiro passo, para evitar qualquer tipo de transtorno, é chamar um profissional habilitado para realizar uma revisão nas instalações elétricas do imóvel. Em muitas situações, o sistema desses locais encontra-se sobrecarregado, principalmente por conta da utilização de ‘benjamim’ para interligar vários equipamentos, procedimento que pode resultar em um significativo aumento de consumo e também em acidentes devido aos possíveis curtos-circuitos.


A atenção já deve ser redobrada na hora da compra dos enfeites. A recomendação é que materiais como cordões luminosos, mangueiras, pisca-piscas e os demais artigos decorativos devem ser de procedência e qualidade certificadas pelo selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Para as decorações internas ainda orienta-se que sejam comprados produtos com a etiqueta que indique resistência ao fogo.

O executivo da área de Segurança da Celpa, Alex Fernandes, também alerta. “Ao comprar esses produtos, o consumidor deve pedir para os venderes testarem o material. Já em casa, deve-se evitar ligar vários jogos de luz na mesma tomada para não sobrecarregar o sistema elétrico. E as ligações devem ficar longe do alcance de crianças e de ornamentações como cortinas, tapetes ou móveis de MDF. Pedimos também que não instalem os artigos decorativos próximos aos postes ou fios da rede elétrica. Dessa forma, evitamos acidentes e aproveitamos as festividades sem imprevistos”, avalia o executivo.

Na hora da reutilização dos enfeites é importante conferir a integridade do condutor de energia (fio). Emendas e conexões mal feitas devem ser evitadas ao máximo, pois os fios não devem ter seu isolamento (capa protetora) rompido ou conexões e emendas com folga.

ECONOMIA – Além da questão da segurança, o gasto com energia também deve ser levado em consideração na hora de enfeitar os imóveis para o Natal. De acordo com a Celpa, um pisca-pisca de 100 lâmpadas, com potência de 50 W, consome cerca de 16,5 kWh/mês. Caso fique ligado durante 11 horas por dia, o gasto será em torno de R$ 8,43 mensais.

O líder da área de eficiência energética da concessionária, Hugo Cardoso, fala sobre a escolha do ornamento. “Orientamos a compra de pisca-pisca com lâmpadas mais econômicas, como as de 30 W que consomem cerca de 9,9 kWh/mês em 11 horas de uso. Isso representa R$ 5,05 mensais. Logo, há uma economia de R$ 3,38 por mês e se formos levar em conta quantos jogos o cliente coloca em sua residência, esse valor pode aumentar”, finaliza Hugo.

Para garantir a segurança durante as festas, confira as dicas:

  • Antes de colocar as luzes natalinas, verifique se a instalação elétrica suporta o aumento de carga.
  • Instalações ou manutenções elétricas devem ser feitas apenas por profissionais qualificados e materiais devidamente certificados pelos órgãos correspondentes.
  • Não deixe os fios no chão, onde há circulação de pessoas, veículos e animais.
  • Não é recomendado o uso de benjamins (T) ou extensões elétricas para conectar vários conjuntos de luzes. Tente usar pontos de alimentação diferentes para cada conjunto.
  • Não amarre, puxe ou arraste os fios, principalmente, sobre superfícies metálicas.
  • Faça inspeções frequentes se as luzes natalinas (fios) foram instaladas em locais acessíveis a crianças e adultos, ou animais.
  • Tenha atenção para locais com acúmulo de água e fios expostos a ação da chuva e do vento.
  • Caso seja necessário manipular ou inspecionar os fios, confira se a tomada está desligada.

 

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu