Publicidade
Economia

EXPORTAÇÕES 2017: Pará deve fechar ano com 14 bilhões de dólares

As riquezas do Pará ganharam o mundo. Há um pouquinho do Pará nas estruturas prediais e nos carros da China, para onde vai o melhor minério de ferro do mundo produzido em Carajás; em relógios de marca, nos fios de energia e nos modernos motores elétricos da Alemanha, para onde vai o cobre de excelente teor produzido em Salobo; em embalagens, latas e utensílios domésticos do Canadá e da Irlanda, para onde vai o alumínio produzido na regiões do Tapajós, Trombetas e Capim.

No hemisfério norte, as madeiras paraenses conquistam espaço nos lares norte-americanos e europeus, em forma de móveis nobres e sofisticadas estruturas arquitetônicas. A soja produzida no estado vira alimentos, bebidas e cosméticos, especialmente na Espanha e na Holanda. Os vegetais e os óleos da floresta amazônica tornam-se perfumes, xampus, loções e cremes de pele na França, na Itália e no Reino Unido. E as carnes e as miudezas do Pará saciam mercados onde, juntos, residem um bilhão de pessoas.

De janeiro a setembro deste ano, o Pará exportou 10,48 bilhões de dólares em commodities, que vão de minérios a óleo de babaçu, de acordo com dados mensais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) que acabam de ser divulgados. É muito mais do que o estado negociou no exterior durante todo o ano passado, em que foram exportados 6,46 bilhões. Se mantiver o pique de exportações, o Pará vai encerrar o ano com 13,97 bilhões transacionados, mais que o dobro do apurado em 2016.

 

PRODUTOS

Na pauta de exportações paraenses, o minério de ferro lidera, com 5,59 bilhões de dólares (ou 53%). O minério de cobre vem em seguida, com 1,45 bilhão de dólares (ou 14%). Fora da indústria mineral, a soja paraense é o principal produto exportado, com 431,22 milhões de dólares (ou 4,1%). Destacam-se, ainda, as vendas de carne bovina, com 228,32 milhões de dólares (ou 2,2%), e de boi vivo, com 126,12 milhões de dólares (ou 1,2%).

Ao todo, mais de cem produtos compõem a pauta de exportações do Pará, que tem, pelo menos, 30 país interessados em consumi-los. A China, que este ano já comprou 4,09 bilhões de dólares do total exportado (ou 39%), é o país que mais consome as commodities do Pará. Japão (5,6%), Malásia (5,2%), Alemanha (4,3), Holanda (3,9%), Noruega e Canadá (3,6%), Coreia do Sul (2,9%), Estados Unidos (2,5%) e Taiwan (2,2%) completam o pelotão dos dez principais consumidores dos produtos da terra.

Todas as mesorregiões paraenses possuem municípios exportadores e potencial para crescer ainda mais. Por causa da qualidade do que produz e vende lá fora, aliado a um percentual pequeno de importação, o Pará é um dos estados que mais contribuem para o sustento da balança comercial brasileira, uma vez que apresenta o 3º melhor saldo comercial este ano, da ordem de 9,79 bilhões de dólares.

Potência à espera de acontecer, e estado mais próximo dos mercados consumidores da América do Norte e da Europa, o Pará deve se tornar um dos maiores corredores logísticos na próxima década, em que também se tornará um dos cinco maiores exportadores do Brasil.

Quer ficar por dentro de mais notícias como essa, basta curtir a página Meu Pará de Todos

Publicidade

Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing LTDA-ME
CNPJ: 05.200.883.0001-05 Parauapebas-Pará-Brasil
(94) 99121-9293 | (94) 981342558

Todos os direitos reservados © 2017 Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing Ltda-ME
Desenvolvimento Web: Agência Maktub

To Top
error: Reprodução proibida!