Publicidade

Pesquisa aponta Parauapebas como uma das melhores cidades para se investir no Brasil

A edição de abril de 2014 da Revista Exame traz um amplo levantamento, realizado pela consultoria paulista Urban Systems, sobre a situação das cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes no que se refere a investimentos em negócios. Um ranking com as 100 melhores foi elaborado levando em conta 27 indicadores, divididos em sete subcategorias, com pesos diferentes. Veja a seguir a metodologia utilizada:

Sociodemografia
1. Crescimento populacional (2000-2010) – peso 2
2. População economicamente ativa (2013) – peso 1
3. % de chefes de famílias da classe A (2013) – peso 1
4. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010) – peso 1
5. Evolução do IDHM (2000-2010) – peso 1


Economia
6. Crescimento do PIB (2008-2011) – peso 2
7. Produto Interno Bruto per Capita (2011) – peso 1
8. Crescimento do número de empresas (2008-2012) – peso 2
9. Crescimento de empregos formais (2008-2012) – peso 2
10. % de empresas com mais de 1 mil empregados (2012) – peso 1
11. Renda média dos trabalhadores formais (2012) – peso 2
12. Empregados/população economicamente ativa (2013) – peso 1

Saúde
13. Número de leitos por 1 mil habitantes (2013) – peso 1
14. Número de beneficiários de convênio médico em relação à população (2013) – peso 1
15. Índice de longevidade (2010) – peso 1
16. Índice de coleta de esgoto (2011) – peso 1
17. Índice de tratamento de esgoto (2011) – peso 1

Educação
18. Percentual de trabalhadores formais com ensino superior (2012) – peso 2
19. Número de matrículas no ensino superior em relação à população economicamente ativa (2010) – peso 1
20. Percentual de docentes do ensino fundamental com curso superior (2012) – peso 1

Finanças
21. Índice Firjan de Gestão Fiscal (2011) – peso 2
22. Número de agências bancárias por 10 mil habitantes (2013) – peso 1

Transporte
23. Crescimento da frota de automóveis (2008-2013) – peso 1
24. Número de automóveis por 1 mil habitantes (2013) – peso 1
25. Existência de portos (2013) – peso 1
26. Existência de aeroportos com pista de, no mínimo, 1.200 metros (2013) – peso 1

Telecomunicações
27. Percentual de conexões de banda larga fixa acima de 12 Mbps (2013) – peso 1

AS 100 MELHORES
(total de pontos possíveis: 34)

1. Vitória (ES) – 17,36 pontos
2. Parauapebas (PA) – 16,00
3. Curitiba (PR) – 15,53
4. Barueri (SP) – 15,45
5. Florianópolis (SC) – 15,30
6. Niterói (RJ) – 15,14
7. São Caetano do Sul (SP) – 15,11
8. Recife (PE) – 15,10
9. Rio de Janeiro (RJ) – 15,00
10. Macaé (RJ) – 14,92

11. Belo Horizonte (MG) – 14,81
12. Porto Alegre (RS) – 14,60
13. Brasília (DF) – 14,53
14. Itajaí (SC) – 14,25
15. Maringá (PR) – 14,19
16. Rio das Ostras (RJ) – 14,09
17. Jundiaí (SP) – 13,98
18. São Paulo (SP) – 13,77
19. Campinas (SP) – 13,67
20. Goiânia (GO) – 13,63

21. Porto Velho (RO) – 13,62
22. Santana de Parnaíba (SP) – 13,37
23. Santos (SP) – 13,34
24. Fortaleza (CE) – 13,18
25. Palmas (TO) – 13,13
26. Caxias do Sul (RS) – 13,06
27. Uberlândia (MG) – 13,06
28. Salvador (BA) – 12,99
29. Sorocaba (SP) – 12,99
30. Campo Grande (MS) – 12,98

31. Manaus (AM) – 12,87
32. São Bernardo do Campo (SP) – 12,82
33. Rio Verde (GO) – 12,71
34. Cascavel (PR) – 12,68
35. Piracicaba (SP) – 12,63
36. Balneário Camboriú (SC) – 12,57
37. Rio Grande (RS) – 12,57
38. São José do Rio Preto (SP) – 12,55
39. São José dos Pinhais (PR) – 12,54
40. Londrina (PR) – 12,52

41. Aracaju (SE) – 12,51
42. São Luis (MA) – 12,49
43. Três Lagoas (MS) – 12,46
44. São José dos Campos (SP) – 12,45
45. Valinhos (SP) – 12,37
46. Vila Velha (ES) – 12,36
47. Ribeirão Preto (SP) – 12,34
48. Itapevi (SP) – 12,33
49. Toledo (PR) – 12,29
50. Hortolândia (SP) – 12,27

51. Belém (PA) – 12,25
52. Presidente Prudente (SP) – 12,18
53. Anápolis (GO) – 12,14
54. Natal (RN) – 12,13
55. Bauru (SP) – 12,06
56. Joinville (SC) – 12,06
57. Angra dos Reis (RJ) – 12,04
58. Santo André (SP) – 12,04
59. São Carlos (SP) – 11,94
60. Betim (MG) – 11,93

61. Itabira (MG) – 11,92
62. Santa Maria (RS) – 11,89
63. Cuiabá (MT) – 11,84
64. Indaiatuba (SP) – 11,83
65. São José (SC) – 11,82
66. Varginha (MG) – 11,80
67. Araraquara (SP) – 11,76
68. Uberaba (MG) – 11,75
69. Guarulhos (SP) – 11,74
70. Dourados (MS) – 11,72

71. Passo Fundo (RS) – 11,71
72. Cotia (SP) – 11,70
73. Resende (RJ) – 11,70
74. Blumenau (SC) – 11,70
75. João Pessoa (PB) – 11,69
76. Campina Grande (PB) – 11,67
77. Foz do Iguaçú (PR) – 11,67
78. Maceió (AL) – 11,66
79. Ponta Grossa (PR) – 11,64
80. Botucatu (SP) – 11,59

81. Valparaíso de Goiás (GO) – 11,59
82. Teresina (PI) – 11,51
83. Sinop (MT) – 11,50
84. Bento Gonçalves (RS) – 11,49
85. Pouso Alegre (MG) – 11,49
86. Umuarama (PR) – 11,48
87. Osasco (SP) – 11,43
88. Juiz de Fora (MG) – 11,39
89. Altamira (PA) – 11,39
90. Itu (SP) – 11,37

91. Araucária (PR) – 11,35
92. Lauro de Freitas (BA) – 11,34
93. Rondonópolis (MT) – 11,33
94. Jaraguá do Sul (SC) – 11,31
95. Boa Vista (RR) – 11,31
96. Americana (SP) – 11,28
97. Barretos (SP) – 11,27
98. Araras (SP) – 11,25
99. Palhoça (SC) – 11,19
100. Serra (ES) – 11,06

Melhores por região

Sudeste – 47 cidades
São Paulo (30)
Minas Gerais (8)
Rio de Janeiro (6)
Espírito Santo (3)

Sul – 24 cidades
Paraná (10)
Santa Catarina (8)
Rio Grande do Sul (6)

Nordeste – 11 cidades
Bahia (2)
Paraíba (2)
Alagoas (1)
Ceará (1)
Pernambuco (1)
Rio Grande do Norte (1)
Sergipe (1)
Maranhão (1)
Piauí (1)

Centro-Oeste – 11 cidades
Goiás (4)
Mato Grosso (3)
Mato Grosso do Sul (3)
Distrito Federal (1)

Norte – 07 cidades
Pará (3)
Amazonas (1)
Rondônia (1)
Roraima (1)
Tocantins (1)

Melhores por segmento
* para este levantamento foram considerados indicadores específicos adicionais

Desenvolvimento Econômico
(notas de 0 a 14)

1. Parauapebas (PA) – 7,46
2. Rio das Ostras (RJ) – 7,00
3. Queimados (RJ) – 6,21
4. Três Lagoas (MS) – 5,94
5. Cabo de Santo Agostinho (PE) – 5,90
6. Palhoça (SC) – 5,84
7. Aparecida de Goiânia (GO) – 5,77
8. Porto Velho (RO) – 5,70
9. Itapevi (SP) – 5,63
10. Marituba (PA) – 5,59

Desenvolvimento Social
(notas de 0 a 5)

1. Rio das Ostras (RJ) – 3,64
2. Conselheiro Lafaiete (MG) – 3,44
3. Ibirité (MG) – 3,38
4. Divinópolis (MG) – 3,38
5. Maracanaú (CE) – 3,28
6. Santa Luzia (MG) – 3,28
7. Pouso Alegre (MG) – 3,26
8. Piraquara (PR) – 3,12
9. Trindade (GO) – 3,19
10. Araguari (MG) – 3,19

Infraestrutura
(notas de 0 a 7)

1. Recife (PE) – 5,28 pontos
2. Salvador (BA) – 5,23
3. Rio de Janeiro (RJ) – 5,14
4. Fortaleza (CE) – 4,85
5. Vitória (ES) – 4,54
6. Belo Horizonte (MG) – 4,34
7. Campina Grande (PB) – 4,30
8. Niterói (RJ) – 4,29
9. Guarulhos (SP) – 4,18
10. Feira de Santana (BA) – 4,07

Capital Humano
(notas de 0 a 9)

1. Florianópolis (SC) – 5,67
2. Vitória (ES) – 5,48
3. São Caetano do Sul (SP) – 5,30
4. Curitiba (PR) – 4,98
5. Macaé (RJ) – 4,89
6. Brasília (DF) – 4,70
7. Belo Horizonte (MG) – 4,68
8. Santos (SP) – 4,64
9. Porto Alegre (RS) – 4,61
10. Palmas (TO) – 4,59

Fonte: Revista Exame – Edição 1064 – Ano 48 – Nº 08 – 30/04/2014

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu