Publicidade

Patinador que foi vítima de atropelamento na PA-275 tem morte cerebral

Foto do jovem que vem circulando nas redes sociais

Durante a tarde desta segunda-feira (10), a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar infelizmente obteve com exclusividade a informação de que o jovem patinador que tem apenas 16 anos de idade e foi vítima de um atropelamento violento na noite da última sexta-feira (8), como foi noticiado AQUI, acabou tendo a morte cerebral confirmada pelos médicos.

Wellisson Farias Azevedo assim que foi socorrido, momentos depois do acidente, foi encaminhado em estrado gravíssimo ao Hospital Geral de Parauapebas (HGP), onde ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de acordo com informações, devido ao baque fortíssimo que atingiu sua cabeça, a vítima quebrou as duas pernas em vários lugares e que fraturou inclusive parte da coluna, os médicos estavam esperando que seu quadro clínico apresentasse melhoras para que exames mais detalhados fossem realizados.


Infelizmente o quadro clínico do jovem não apresentou melhoras nos últimos dias e de acordo com informações obtidas por este portal de notícias, nesta segunda-feira (10), Wellison teve morte cerebral confirmada.

O que é morte cerebral

A morte cerebral, também chamada de morte encefálica, ocorre quando não há mais nenhum tipo de atividade cerebral, seja elétrica (dos micro-impulsos entre os neurônios), circulatória ou metabólica (referente a utilização de oxigênio, glicose e outros nutrientes pelas células cerebrais). No entanto, é preciso que este fim das atividades seja irreversível.

No ponto de vista legal, esta é a principal definição de morte, pois classifica o fim da vida mesmo que o coração ou pulmões consigam ser mantidos funcionando por aparelhos ou medicamentos.

No entanto, mesmo com o cérebro não mais funcionando, a medula pode ainda executar algumas funções, operando o chamado sistema nervoso autônomo, que funciona de forma inconsciente, então o corpo ainda pode ter alguns poucos reflexos e o funcionamento de alguns órgãos.

Motorista se apresentou em Marabá

No domingo (9), o servidor público federal identificado como Marcelo Napoleão Andrade se apresentou na Polícia Civil em Marabá ao delegado plantonista.

No sábado (8), as polícias Civil e Militar conseguiram localizar o endereço dele em Parauapebas, encontraram a casa vazia, mas conseguiram encontrar a chave do veículo Honda Civic que se envolveu no acidente, o mesmo foi encaminhado até a Seccional de Polícia Civil em Parauapebas e está à disposição das autoridades que investigam o caso.

Napoleão, em foto divulgada nas redes sociais

 

José Aquino, delegado responsável pelas investigações em Parauapebas, ainda não confirmou se irá pedir ou não a prisão preventiva de Marcelo Napoleão, que de acordo com imagens que registraram o momento exato do atropelamento, o condutor do veículo fez uma ultrapassagem em local proibido e em alta velocidade, atingindo em cheio o patinador e fugindo do local sem prestar nenhum tipo de socorro.

Prefeitura se manifesta

Procurada pelo Portal Pebinha de Açúcar, através da Assessoria de Comunicação (Ascom), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) emitiu a seguinte nota, confira na integra:

“A Secretaria de Saúde (Semsa) informa que nesta segunda-feira, 10, por volta das 13h, no Hospital Geral de Parauapebas (HGP), foi iniciada a abertura do protocolo médico de morte cerebral do paciente W. F. A., vítima de acidente de trânsito e deu entrada na unidade na madrugada do último sábado, 8.
O procedimento foi iniciado por médico neurologista após avaliações clínicas a respeito do quadro de saúde do paciente, considerado gravíssimo desde a entrada na unidade.
A Semsa frisa que todos os cuidados e recursos possíveis estão sendo garantidos ao paciente que está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que qualquer procedimento e exames específicos só poderiam ser realizados conforme estabilização do quadro clínico, como informado anteriormente.
O paciente está sendo acompanhado por especialistas como ortopedista, neurologista, equipe de cirurgia geral, médico intensivista e demais profissionais envolvidos no atendimento de forma ininterrupta, que não mediram esforços para salvar a vida do paciente.
A Semsa deixa claro que o gravíssimo estado de saúde do jovem foi determinante para impedir qualquer tipo de exame e outros procedimentos fora da UTI, pois W. A. está completamente dependente dos aparelhos e não pode ser removido de forma alguma.
A Prefeitura de Parauapebas lamenta profundamente pelo ocorrido e se solidariza à família de W. A”.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu