Banner Educar


Polícia prende acusado de aplicar golpes em familiares de pacientes de hospitais em Marabá

Polícia prende acusado de aplicar golpes em familiares de pacientes de hospitais em Marabá

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 20, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Marcus Vinicius Medeiros Monteiro, acusado dos crimes de estelionato e tráfico de influência na cidade de Marabá, sudeste do Estado. Segundo a delegada Simone Felinto, titular da Seccional de Marabá, o preso é apontado como responsável em arquitetar golpes contra familiares de pacientes hospitalares em estado grave internados na região com a promessa de conseguir leitos e cirurgias no Hospital Regional de Marabá. De acordo com a delegada, o acusado Marcus Monteiro entrava em contato por telefone com os familiares dos pacientes e fingia ser um dos médicos do hospital.

Na ligação, o golpista dizia que já havia um leito ou cirurgia de emergência disponíveis ao paciente na Unidade de Saúde, mas que, para fazer a transferência de forma mais rápida, era preciso efetuar um pagamento, por meio de depósito em conta bancária, de uma determinada quantia. A delegada explica que a investigação vem sendo realizada há cerca da 6 meses. “Durante as investigações, foram constatados indícios suficientes de autoria dos delitos. Logo em seguida, foram requisitadas as medidas judiciais necessárias”, relata a policial civil.

Além da ordem judicial de prisão preventiva, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência de Marcus Monteiro. Na casa, explica a policial civil, os agentes encontraram alguns objetos e diversos documentos relacionados ao crime. As ordens judiciais foram expedidas pela juíza Renata Guerreiro, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca do município de Marabá. O acusado foi apresentado na 21ª Seccional de Marabá, onde prestou depoimento.

Segundo a delegada, Marcus Monteiro negou qualquer participação no crime. As investigações irão continuar para apurar o envolvimento de outras pessoas no esquema criminoso. Ela ressalta que as investigações têm prazo de até 10 dias para ser concluída. “Os resultados serão relatados e encaminhados à Justiça”, detalha. Marcus Monteiro está recolhido à disposição da Justiça.

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!